(Intro) 30 dias de dieta low carb

7fb93be144e0b4470b4b26934c2f890f

Estabelecer metas é algo que todo mundo faz, mas será que podemos dizer o mesmo quanto ao momento de, de fato, cumpri-las? Bom, no dia 03 de novembro de 2016 eu recebi uma dieta nova da minha nutricionista e só pelo título e sub-título eu já pressenti que não seria um desafio fácil: “Low Carb (seguir durante 30 dias) + Não consumir nenhum tipo de pão, doces, tortas, refrigerante, suco de caixinha, bebida álcoolica, frituras, fast food e bolos”. Ai…

Durante o último ano eu passei por muitos problemas envolvendo o meu corpo e com certeza o principal deles foi a falta de controle quando o assunto era comida. Ainda que eu tivesse uma rotina muito ativa com exercícios físicos (faço todo dia), percebi que o problema mesmo era a questão da alimentação. Como eu já havia contado aqui em posts antigos, a minha alimentação mudou móoointo nos últimos anos (grazadeus!!), mas nos últimos meses isso não foi suficiente justamente porque, com o meu estresse, eu acabava consumindo alimentos numa quantidade muito exagerada, aí não tem nem jeito, né?

Deixa eu explicar melhor, nos últimos meses percebi que eu estava me tornando meio (ou muito?) neurótica com questão de aparência, alimentação etc. Eu comia bem, mas no fim de semana (momento em que eu “me deixava não ser tão saudável”) eu simplesmente comia até não poder mais, quase como se fosse “deixa eu aproveitar o fim de semana pra comer tudo isso já que segunda eu tenho que voltar pra dieta”, sabe? O resultado era claro: meu peso ficava oscilando horrores, eu só chorava, inventava mil dietas pra emagrecer em poucos dias, descontava a raiva em Deus e mundo (tadinho do Luiz..) e cara..estresse total!

A minha ida à nutricionista no iníciozinho de novembro foi muito além de uma simples consulta. Conversei com ela sobre o fato de que estava com medo de o resto da minha ser assim, um estresse sem fim por causa da relação de amor e ódio com o meu corpo. Felizmente, percebi que a única coisa que me salvaria seria uma reeducação alimentar pra valer. Contei que não tinha curtido tomar Whey, então parei, e que eu (me perdoe as saradonas) curto pesar pouco e ser mais magrinha, por isso não queria ver mais meu peso aumentando na balança (ainda que fosse só de “massa magra”, eu simplesmente não curtia ver o número da balança aumentando e as calças ficando mais toradas). Por isso, a nutri me passou uma dieta de 30 dias de low carb pra eu dar aquela enxugada nas gorduritchas e ao mesmo tempo perceber que é possível ter muitas refeições no dia e não engordar (vou mostrar como!). Ah, e claro, para eu aprender a lidar com comida.

Surpreendentemente, o geral desses 30 dias foi mais fácil do que eu imaginei. Tá que certas coisas que eu já nem consumia, tipo refrigerante, suco de caixinha e álcool (só tomo álcool tipo 3x por ano kkk), mas deixar de comer um docinho eu já sabia que seria bem complicado, hahaha. De fato, as únicas coisas que dificultaram o processo foram aqueles lanches, aniversários, almoços em família, porque ô povo que resolve comer comida engordativa, né? haha. Felizmente, como eu estava determinada com a minha meta, nenhum deles me atingiu! Ihu!

Esse post foi uma pequena introdução pro próximo, em que eu vou mostrar um pouco da dieta que fiz, os meus resultados e como estou fazendo desde que terminei ela (sem perder o foco pra não perder todos os resultados alcançados né hihi). Tá interessado em ver no que deu essa dieta? haha, comenta aí embaixo! :D O próximo post já vai sair ;)

Obs: para alguns pode ser pieguice essa questão de posts inspiradores em relação a exercícios físicos, mas como eu sinceramente digo que era algo que abalava meu emocional de maneira intensa, tenho certeza que a mudança do meu corpo e meu modo de lidar com a comida foram conquistas pra mim :) espero que possam se inspirar também!

Anúncios

Vamos falar sobre o blog?

img_9195

Quando eu criei o blog, em maio de 2012, eu tinha apenas 17 anos, estava no final do ensino médio, sonhava com muitas coisas e tinha uma grande vontade de compartilhar interesses pessoais com outras pessoas pela internet.

Quando eu criei o blog, minha escrita não era 100%, mas eu me esforçava bastante para usar a página como um treino para o vestibular que chegaria no fim do ano. O interesse em cursar jornalismo com certeza seria bem fomentado com um blog aonde eu pudesse praticar minhas habilidades com a escrita.

Quando eu criei o blog, a minha ingenuidade era de que apenas as pessoas mais próximas do meu convívio iriam acessa-lo e, bom, se tornarem os meus leitores com o passar do tempo. O layout era o mais simples possível, nada pago, mas com um toque de originalidade para tentar passar o máximo da minha personalidade para uma página da internet.

Pouco tempo depois do blog ser criado, apareci numa sessão de garotas estilosas na Capricho. Lembro até hoje de quando, junto com as minhas amigas, vimos a postagem no site e eu pedi pra elas lerem os comentários pra mim. Lembro melhor ainda de que elas ficaram muito sem graça de ler os comentários, pois a maioria era de críticas ao looks (look de vovó, não gostei, nada a ver). Lembro que chorei. A minha primeira exposição na internet foi marcada com várias críticas que me deixaram muito triste…mas eu enxuguei o rosto e resolvi olhar pros elogios..e foram muitos!

Após a postagem da Capricho, o blog começou a receber leitores de outros lugares. Eles não eram meus amigos próximos, mas por tantos gostos em comum que os fizeram  se identificar comigo, bem que poderiam ser. Foi nessa hora que eu vi que muita gente pensava que nem eu, também achavam o look de vovó legal, também se inspiravam na Alexa Chung, adoravam itens from UK, curtiam Beatles, shorts de cintura alta e outros. E aí? Bom, aí o blog só tinha motivos para continuar.

O andamento do blog aconteceu junto com passagens de várias fases da minha vida. Fim de ensino médio, estudo para vestibular, completar 18 anos, viver sucessos e frustrações, entrar numa faculdade totalmente diferente do que eu inicialmente desejava, viajar para diversos lugares, mudar várias vezes os cortes de cabelo, conhecer meu namorado, começar a fazer estágio, completar 21 anos e pensar…olha como tanto tempo passou.

Durante todo esse tempo em que eu vivi diversas coisas, muitas delas puderem ser compartilhadas aqui no blog. Muito embora eu gostasse mais de produzir conteúdo de entretenimento (falar de filmes, viagens, gente estilosa, compras), o passar dos meses e anos fizeram com que os leitores se interessassem cada vez mais em saber sobre a “Paula”. Por isso, postei mais looks, mais fotos pessoais de viagens, gravei vídeos e contei mais coisas sobre a minha vida. Definitivamente, foi nessa hora, e com o blog recheado de visualizações, que eu vi que não estava sozinha. Foi nessa hora que eu vi que tinha feito muitos novos amigos sem nem conhece-los!

A gente vai crescendo e mudando. O blog também mudou. Eu ainda assisto filmes da Disney e sonho em viajar pra Londres de novo, mas os tempos em que eu poderia pensar na página quase o dia inteiro acabaram. Hoje, ser blogueira é uma profissão, e é uma profissão que muitos gostariam de ter, visto que o retorno se resume a muito dinheiro e viagens. Mas a verdade é que eu nunca me considerei uma blogueira (lógico que nunca esnobei quando era chamada assim), porque pra mim o meu único objetivo era compartilhar tudo que eu gosto, sem compromisso com nada. É por causa disso, inclusive, que nos anos mais movimentados no blog, foram poucas as parcerias que aceitei, visto que nunca desejei virar uma máquina de publicidade. Pra falar sinceramente, meus posts sempre foram os mais sem filtro possíveis, tanto que eu deixava link de download de filme/CD, escrevia de maneira errada de propósito, inventava categorias de posts bem nada a ver, falava o que pensava e tudo mais. Aliás, o fato do blog ter crescido, com base nisso, foi com certeza o que mais me impressionou! Já perdi a conta de quantos comentários que falavam que o blog era bastante original.

Hoje em dia eu vejo que fiz muita coisa legal com o A Little Rock. Compartilhei muitos assuntos, muitos acontecimentos e muitas memórias. Já fui parada no shopping por leitoras, já dei conselhos de tudo que é assunto e já ouvi que o blog serviu de inspiração para a criação de outros blogs (que inclusive hoje recebem muitos acessos).

Como o blog se misturou com a minha vida acadêmica/pessoal, muitas vezes foi deixado de lado para dar oportunidade pros estudos e pra outras coisas da minha vida. A verdade é que tem horas em que me arrependo de ter feito ele parar de perder a força, mas ao mesmo tempo a gente tem que entender que a vida não para, cada hora é uma coisa nova, cada hora é um desafio novo, e escrever na página teve de virar segunda opção.

Hoje percebo que ser blogueira não necessariamente implica ter um blog. As várias redes sociais, com postagens rápidas, bem explicam o que a sociedade de hoje quer: praticidade. Ter um blog mudou para ter um Instagram, que mudou para ter um Snapchat. Do que adianta acessar uma página para ver um look se você pode vê-lo direto em apps que são super práticos, né? Ou mesmo acompanhar uma viagem por posts se você pode vê-las praticamente ao vivo pelo Snapchat!

As coisas mudaram muito. Às vezes penso no tempo que gasto para fazer alguns posts aqui que para blogueiras que postam a mesma coisa no Instagram, não chegou a demorar nem 5 minutos. Isso já me fez pensar em parar várias vezes, mas por pedidos de leitoras eu voltei a escrever na página, ainda que o retorno não fosse grande como era antes.

Independentemente da vontade de parar de escrever no blog, eu jamais vou exclui-lo. Tem tantos posts que fiz que nem lembro direito, por isso adoro matar a saudade! A minha intenção no momento é basicamente deixar o compromisso de postagens no blog de lado, mas sem excluir o A Little Rock A Little Roll do mundo. O instagram ainda está lá, o snapchat, e o youtube também. As dicas de filmes, séries, viagens, músicas e postagens de looks vão aparecer. A diferença é que, aqui no blog, isso vai ser mais ocasionalmente mesmo (sugestões sempre são bem vindas).

O textão que sai da criação do blog até a minha decisão em parar um pouco passou por diversos anos, por diversos momentos da minha vida. Não foram muitas as vezes em que eu desabafei aqui na página, mas essa com certeza integra o lado mais pessoal do blog. Por isso quando a gente decide se abrir, as palavras não param de sair e você percebe que o post está gigante..hehe.

Espero que todo o caminho percorrido pelo A Little Rock A Little Roll possa ter afetado de alguma forma a vida de quem se interessava pelos conteúdos publicados aqui <3

Um beijo <3

Looks de faculdade: Outubro 2016

sem-titu9lo

Outubro já está nos dando aquele bye bye então deixa eu aproveitar esse fim de mês pra separar uns novos looks da faculdade por aqui! Na correria das primeiras provas ficou meio difícil de fotografar muitas produções e mais difícil ainda de achar alguém aqui em casa pra tirar fotos de corpo inteiro! Haha. Por isso vamos voltar pro tradicional look pela metade no espelho, hihi. Espero que gostem dos looks escolhidos :)

lookfacul1
lookfacul22lookfacul3

Algum look favorito? :3 Beijos!

Sorteio: Kit A Little Rock A Little Roll (Encerrado)

img_4455-jpg0

Ai que saudade de um sorteio aqui no blog, ein? hahaha. Pra compensar o atraso dos inúmeros giveaways que já passaram pelo A Little Rock, resolvi preparar um kit lindu que é a cara do blog pra poder presentear uma leitora sortuda (ou leitor também)! Bora ver o que tem de legal no kit que vai ser sorteado?

  1. Dois adesivos de parede de Londres da loja QCola;
  2. Uma sacola estampada com a placa da Abbey Road de Londres;
  3. Um quadrinho de parede escrito All You Need is Love;
  4. Um caderninho de anotações;

Ai que lovi por esse kit, sério! hihi. A cara do A Little Rock A Little Roll ou não? <3 Pra participar você só precisa entrar na foto oficial do sorteio lá no Instagram do blog!

Ah, o sorteio é válido para todo o Brasil e termina no dia 07/12, ou seja, presente de Natal antecipado garantido!!! O resultado será divulgado pelo Instagram e por aqui ^^ Boa sorte, migows :D

10 Fatos curiosos sobre o Walt Disney World

large-61-jpg6

Vocês não sabem como eu amei fazer esse post! hihi

O Walt Disney World é, sem a menor dúvida, um dos meus lugares favoritos do mundo. Não importa quantas vezes eu tenha a oportunidade de visitar a terra do Mickey (até hoje foram 3: 2007, 2009 e 2013), eu sempre vou dizer SIM pra fazer uma viagem incrível que é essa! Estar na Disney é estar em um ambiente que, sério, só transmite alegria e garante a sensação de entrar nas principais histórias que fizeram parte da nossa infância. hihi

É por esse grande lovi que eu tenho pela Disney (e por uma saudade louca que bateu, já que a última viagem foi 3 anos atrás..), que eu tirei um tempinho das minhas tarefas para ler mais sobre os parques da Disney e sobre como funciona essa poderosa empresa que está sempre atraindo gente de tudo que é canto do mundo. Em outras palavras: cavuquei os segredos do Walt Disney World..hahaha. Depois de dar umas pesquisadas em fóruns e alguns sites, separei aqui algumas coisas muito interessantes sobre como funciona a organização dos parques da Disney. Quem já teve a chance de visitar a Disney, sabe que os complexos de lá são muito impecáveis, no sentido de que os parques estão sempre limpos e organizados, assim você realmente se sente dentro de um novo mundo. Logo, sei que vai ser super legal para quem já foi lá (e também pra quem tem aquela vontade..) a descoberta de alguns fatos bem curiosos e interessantes sobre o Walt Disney World. De certo modo, podemos dizer que são segredos, pois a maioria foi compartilhada por pessoas que já trabalharam lá..bora ver?

large-67

1. Vamos começar com o fato que é, sem dúvidas, o mais interessante, e que, sim, muitas pessoas sabem, mas outras nem fazem ideia..O Magic Kingdom, principal parque da Disney, foi construído todo em cima de um complexo bem grande (que é chamado de “túneis” pelas pessoas que trabalham lá.) Deixa eu explicar do início, lá no Magic Kingdom existem diversas lands (terras): tomorrowland, fantasyland..e cada uma delas, é, obviamente, diferente da outra. Durante o planejamento do parque, o Walt Disney pensou que não faria muito sentido ver um personagem do velho oeste (da frontierland), por exemplo, caminhando pela tomorrowland, que é a terra do futuro, ou outro exemplo, diversas Minnies andando perto uma da outra, o que seria algo comum pois os personagens tem que se deslocar do camarim até uma atração, trocar de turno com outro funcionário, etc. ENFIM, pode-se dizer que esse foi o pontapé inicial para a ideia de construir um complexo que seria destinado ao “backstage”  das atrações, como fantasias, utensílios..(já perceberam como os personagens de lá surgem do nada?). Pois bem, o complexo de túneis foi criado no nível do chão mesmo, e em seguida o Magic Kingdom foi criado ACIMA dele (ou seja, os túneis não são um subsolo, mas o parque que está num pavimento acima..). Nesses túneis os funcionários caminham de land para land sem chamar a atenção dos visitantes do parque. Basicamente, é uma parada MUITO organizada, e pelo que eu pesquisei, crianças não são admitidas lá embaixo para não correrem o risco de verem um Mickey sem cabeça ou a Branca de Neve tomando chá com a fada madrinha da Cinderela, por exemplo, hahah. O objetivo do Walt Disney era fazer as crianças (e certamente os jovens e adultos..) se sentirem num mundo novo. Pra quem tiver curiosidade, esse é o mapa dos túneis do Magic Kingdom.

large-63

2. Se um visitante perguntar para qualquer funcionário do parque pra qual direção fica determinado lugar (ou coisas afins) estes são orientados a apontar a direção com os dois dedos (ou com a mão inteira), mas nunca com um dedo só. Essa pequena regra veio do próprio Walt Disney, que entendia ser muito rude que a direção fosse apontada somente com um dedo da mão (e parando pra pensar, é meio rude mesmo né..).

3. Os personagens não podem sair do papel em nenhum momento e os funcionários não podem comentar coisas que indiquem que o Mickey é uma pessoa fantasiada ou que exista mais de um Mickey no parque, por exemplo. A intenção é fazer com que tudo lá pareça a realidade, portanto se você comentar com algum personagem sobre algo do “nosso mundo”, ele muito provavelmente vai ficar tipo..what? Inclusive, lembrei que quando estava indo tirar foto com o Aladdin, em 2007, ele perguntou para a minha irmã o que era New York (pois estava escrito Calvin Klein New York na blusa dela), e depois de falarmos que era uma cidade, ele ficou sem entender e começou a falar de Agrabah, aquelas paradas lá do filme né hahaha.

large-66

4. Alguns funcionários comentaram que tem pessoas que resolvem jogar as cinzas de parentes/amigos falecidos nos parques O.o e que inclusive isso acontece frequentemente em atrações tipo a Haunted Mansion no Magic Kingdom. Um funcionário relatou que já teve que usar um aspirador de pó para limpar as cinzas que foram jogadas durante o passeio pela casa mal assombrada..cara, tipo que???

5. Existem símbolos de Mickeys escondidos pelos parques, como se fossem pequenos easter eggs. Basicamente, é aquele desenho tradicional (uma cabeça redonda com as duas bolinhas representando as orelhas) que ficam espalhados pelos parques das mais diversas formas (desenhos, objetos, etc). É só por no google Hidden Mickeys que é possível ver a busca que as pessoas fazem por eles, de verdade! haha.

large-65

6. Se você estiver passando o seu aniversário na Disney, pegue o botton de aniversariante lá na entrada do parque. Com esse broche, TODO MUNDO vai te dar parabéns (tipo… os personagens e funcionários é CERTEZA que vão, mas muitas vezes os próprios visitantes te desejam feliz aniversário também). Além disso, você ganha bolinho de graça nos restaurantes. Posso confirmar tudo isso pois passei meu aniversário lá e foi o melhor aniver da minha vida até hoje, cabe lembrar, hahaha..

7. Chicletes não são vendidos no parque porque a tendência de muitas pessoas que mascam é grudar o chiclete em tudo que é lugar. Pra evitar possíveis sujeiras, não é possível vender goma de mascar em qualquer loja dos parques..sem mimimi.

8. Latas de lixo na Disney não ficam mais do que 30 feet (aprox. 9,1 metros) de distância uma da outra. Não existe desculpa alguma para jogar lixo no chão, e inclusive, se algo for jogado no chão, funcionários vão catar o lixo imediatamente. Não posso nem questionar, pois a Disney é realmente muito limpa!

large-64

9. O castelo da Cinderela não é feito de tijolo, como parece. Na verdade, é feito todo de fibra de vidro. Ademais, ele foi construído de maneira a dar a impressão de que é maior (uma técnica chamada perspectiva forçada). E outro fato legal é que ele mede “apenas” 57,6 metros (taí a impressão de que é bem mais alto). Fontes confirmam que Walt Disney queria que ele fosse mais alto, mas como lá na Florida qualquer construção que passe de 200 feet de altura (aprox. 60 metros) deve conter uma luz vermelha no topo para alertar aviões, Walt Disney preferiu deixar ele um pouquinho menor para não ter que colocar essa luz!

10. A origem da palavra Epcot é “Experimental Prototype Community of Tomorrow” (Protótipo experimental da comunidade do amanhã), que foi um conceito idealizado por Walt Disney quando já estava no fim de sua vida.

Fato Bônus: Durante um período curto, existia um “easter egg” na vila da Pixar que era o seguinte: se os personagens de Toy Story estivessem andando pela vila e você gritasse “Andy is coming”, eles iriam todos cair no chão. No entanto, o segredo se espalhou rápido pela internet e diante dos inúmeros gritos de Andy is coming, a prática parou de ocorrer. Hoje em dia se você gritar Andy is coming pra algum dos personagens: 1. eles não vão fazer nada. 2 eles vão te falar que o Andy foi para a faculdade, haha.

Quanto as fontes, todos esses fatos foram retirados de sites que basicamente SÓ falam sobre os segredos da Disney e também de alguns fóruns do Reddit com funcionários e ex funcionários dos parques. Se por acaso você souber de mais fatos e/ou queira corrigir algum dito aí em cima, fique à vontade :)

Espero que tenham gostado do post, principalmente quem ama a Disney que nem eu! hehe Beijos e até mais!